Vender online - vale mesmo a pena?

vender online

Vender online - vale mesmo a pena?

Nada melhor do que começar pelas estatísticas para perceber se vender online poderá ser uma mais valia para a sua empresa.
 

Diz um estudo que em 2017, 36% da população portuguesa fez compras online, quando o número registado em 2009 era apenas de 13% (Estudo da Economia Digital em Portugal, ACEPI/IDC).
 

E parece que 94% dos portugueses com acesso à Internet já fizeram pelo menos uma compra online em várias categorias de produtos (Nielsen Connected Commerce Report 2018).


É um avanço significativo, sem dúvida.
 

Mas, cada estudo tem o seu senão... Dos 36% de portugueses que fizeram compras online, cerca de metade ainda opta por comprar fora do país.
 

O E-Shopper Barometer Report de 2017 revela mesmo que Portugal é o segundo país europeu com mais compras feitas em sites estrangeiros (83%), ultrapassado apenas pela Letónia (86%).

 

vender online

 

 

Para completar o quadro, apenas 39% de todas as empresas portuguesas tem presença online e só 27% faz negócio através da internet (ACEPI - Associação da Economia Digital).


Ou seja:


Claramente, os hábitos dos consumidores portugueses estão a mudar.


A desconfiança em relação a fazer compras online tem diminuído e a tendência é para cada vez mais portugueses se tornarem adeptos da comodidade do e-commerce.


Não há nada mais conveniente do que fazer scroll down para ver vários artigos, clicar para adicionar o artigo ao cesto de compras, clicar novamente para fazer o pagamento e esperar comodamente pela entrega.


No entanto, ainda são poucas as empresas nacionais que se aventuram a vender online.


Para perceber se a sua empresa deve vender online, poderá ser útil conhecer os principais desafios e por outro lado, os benefícios de ter uma plataforma e-commerce para os seus produtos ou serviços.

 


Vender online - os desafios


1 - Tecnologia & Design

Uma das razões para o progresso lento do e-commerce em Portugal é precisamente a qualidade da maioria das plataformas de comércio electrónico disponibilizadas pelas empresas nacionais.
 

Plataformas e-commerce

Existem centenas de soluções para comércio eletrónico.

Pode optar entre uma plataforma SaaS como Shopify (um sistema de e-commerce completamente desenvolvido e pronto a utilizar) ou uma solução personalizada que lhe permita maior flexibilidade.

Nem sempre a decisão é fácil. Depende das características do seu negócio, do seu segmento, do seu orçamento e dos seus objectivos a médio/longo prazo.

A mesma importância deve ser dada ao serviço de alojamento e o tipo de apoio técnico que contratar para a sua plataforma (isto, se não tiver recursos internos). Uma escolha mal feita pode prejudicar o bom funcionamento e a disponibilidade da sua loja online e afastar os seus clientes.

Design responsivo

Qualquer loja online deve estar otimizada para dispositivos móveis, para que possa ser utilizada tanto em computadores como em smartphones e tablets.

Os smartphones são cada vez mais usados para comprar online em Portugal (47%), especialmente entre os compradores frequentes e os millennials (56%).

Experiência do utilizador

A experiência do utilizador (UX – User Experience) deve ser cuidadosamente pensada e integrada na sua loja online. O mais pequeno pormenor pode fazer toda a diferença entre ganhar e perder potenciais clientes.

A informação dos seus produtos é clara? As imagens têm boa qualidade? O processo de compra é relativamente simples? A sua plataforma recomenda produtos que poderão interessar ao utilizador?

 

 

2 - Segurança e confiança

Segurança, privacidade de dados e credibilidade são desafios na ordem do dia que exigem uma atenção redobrada para quem quer vender online.
 

Numa loja online irá lidar com transações, senhas, códigos, e outras informações confidenciais de utilizadores.
 

Garantir a proteção de dados e a transparência no processo de checkout são essenciais para a credibilidade da loja e para ganhar a confiança do consumidor.
 

A loja está em conformidade com a política de proteção de dados?
São aplicadas sanções às empresas que não cumprem o Regulamento Geral de Protecção de dados.


O site tem um certificado de segurança (https)?
O Google Chrome já marca os websites sem certificados como “Não seguro”, para além de serem penalizados nos resultados de pesquisa.
 

 

3 - Marketing

Investir numa loja online sem investir numa estratégia de marketing digital é completamente inútil. Os seus potenciais clientes não vão encontrar a sua loja por magia da Internet.


Qualquer projeto de e-commerce deve prever custos de marketing e otimização para motores de busca (SEO). É necessário dar a conhecer os produtos ou serviços e torná-los mais visíveis para o público-alvo, face à concorrência feroz no mundo online.


Seja em termos de conteúdo, SEO ou publicidade via Adwords ou redes sociais (Facebook, Instagram, etc.), o marketing digital pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso da sua loja online, mas ainda é pouco explorado pelas empresas portuguesas.

 

vender online



 

4 - Logística

Outra componente importante para o sucesso de uma plataforma de e-commerce é a logística relativamente a entregas e devoluções.


Os consumidores estão dispostos a fazer compras online desde que estas sejam fáceis e convenientes desde o início do processo até à entrega dos produtos, e que ofereçam um preço justo.


As devoluções são muito mais prováveis quando as compras são feitas online. Isto implica custos adicionais para as empresas, em comparação com as habituais trocas em loja.


Este é um desafio que nem sempre é compatível com o seu modelo de negócio.


No caso da Primark, as margens de lucro são demasiado baixas para vender os seus produtos online, uma vez que teria ainda de encarregar-se das despesas de envio e de devolução, ou então estas teriam de ficar a cargo do cliente.

 

 

Vender online - os benefícios

 

1 - Uma base existente de potenciais clientes

A maioria dos potenciais clientes já pesquisa e compra produtos on-line.


Mesmo que não haja uma compra direta através do website, muitos clientes pesquisam produtos na loja online antes de tomar a decisão de ir à loja física para fazer a compra - o chamado webrooming (versão do showrooming tradicional).


É importante que os seus clientes encontrem na loja online informação o mais completa e detalhada possível sobre os seus produtos.
 

2 - Uma loja aberta 24 horas por dia

Lojas online não fecham às 19h da tarde.


Seja Segunda-feira, Domingo ou feriado, os seus clientes podem ver e comprar os seus produtos a qualquer hora e em qualquer lugar, sem desperdiçar oportunidades de venda.


3 - Custos mais reduzidos

O investimento para montar e manter uma loja online é incomparavelmente menor em relação aos custos de uma loja física. Uma plataforma e-commerce é amplamente acessível e simples de implementar.
 

Existem custos mensais ou anuais de serviço, alojamento e de manutenção ou apoio técnico mas bastante inferiores a custos de aluguer e manutenção de espaços físicos, para além de não ser necessário manter um grande número de colaboradores.  


4 - Melhor apoio ao cliente

Vender online permite que o contacto com os seus clientes seja rápido e constante. Para isso, tem à sua disposição uma variedade de conteúdo (vídeos com tutoriais, Perguntas Frequentes, etc.) e ferramentas digitais (redes sociais, chatbots, email, live chat, etc.).
 

Pode ajudar os seus clientes a obter atualizações sobre as suas encomendas e esclarecer dúvidas sem fazê-los sair do seu local de trabalho ou da sua casa.

 

5 - Informação detalhada

Através de uma plataforma de e-commerce consegue acompanhar as suas vendas de forma mais completa, prática e rápida.
 

Tem acesso imediato a dados atualizados sobre tráfego, número de visitantes, quantidade de pedidos, stock de produtos, faturação, produtos mais ou menos vendidos, etc.
 

Esta informação permite-lhe ajustar a sua estratégia e tomar as melhores decisões para o seu negócio.

 

6 - Mais oportunidades para vendas recorrentes

São poucos os clientes que vão querer ir à sua loja regularmente para comprar os mesmos artigos.
 

Vender online permite-lhe configurar opções de subscrições de produtos ou serviços e garantir entradas semanais, mensais ou anuais de encomendas.

 

7 - Aumentar vendas com cross-selling e up-selling

Para além de vendas recorrentes, o e-commerce oferece a oportunidade de aplicar técnicas de cross-selling e up-selling, com o potencial de consideravelmente aumentar o seu volume de vendas.
 

Ou seja, oferecer produtos complementares àqueles que já foram ou estão a ser adquiridos (cross-selling) e encorajar o cliente a gastar um pouco mais em produtos Premium, em troca de um melhor serviço/produto (up-selling).


Um ótimo exemplo de cross-selling são as sugestões de artigos relacionados ou que outros utilizadores adquiriram quando compra produtos na Amazon.

 

8 - Acesso a um mercado global

Vender online tem o grande atrativo de fazer chegar os seus produtos a consumidores em qualquer parte do mundo e internacionalizar o seu negócio.


Para além dos 3 milhões de compradores online em Portugal, a sua empresa pode chegar a um público de 700 milhões de compradores online em todo o mundo.

 



Mesmo depois de analisar os desafios e benefícios de vender online, é muito provável que  muitas dúvidas ficaram por esclarecer.


Qual é a melhor solução e-commerce? Quanto custa? Existe uma checklist de segurança para lojas online? Como planear uma estratégia de marketing para uma loja online?


Saiba, que de um modo geral, implementar o e-commerce na sua empresa é relativamente fácil e de baixo risco, independentemente de já ter ou não uma loja física. E existem profissionais qualificados que o podem ajudar a criar a sua loja e montar uma estratégia.


Vender online não só vale a pena, como é uma necessidade. É fundamental considerar um investimento em e-commerce se quiser fazer crescer e escalar o seu negócio nos próximos anos.


Se tiver dúvidas sobre questões de alojamento, segurança, marketing ou estiver à procura de uma plataforma e-commerce para a sua empresa, venha tomar um café conosco. Boas vendas!